Quer Exercitar Sua Criatividade? Aqui Estão 10 Dicas Essenciais!

Quem é que já não sofreu com a falta de criatividade? Pensando nisso, separamos 10 dicas exclusivas do livro de Austin Kleon, "Roube como um Artista", para você exercitar a sua!
Compartilhar no facebook
Compartilhar
Compartilhar no twitter
Tuítar
Compartilhar no linkedin
Publicar

“Poetas imaturos imitam;
poetas maduros roubam;
poetas ruins desfiguram o que pegam
e poetas bons transformam em algo
melhor, ou pelo menos diferente.
O bom poeta amalgama o seu furto
a um conjunto sensível que é único,
completamente diferente daquele
de onde foi removido.”

T.S. Eliot

Nada pior do que nos sentarmos em frente ao computador e nada vir a mente, não é mesmo?

A falta de criatividade é um verdadeiro pesadelo de qualquer profissional criativo. Por isso, trouxemos nesse texto 10 dicas baseadas no livro de Austin Kleon, “Roube como um Artista”, para exercitar a criatividade e manter-se inspirado.

Essas ideias não servem apenas para artistas, servem para todo mundo. Qualquer pessoa que estiver tentando injetar alguma criatividade em sua vida e trabalho pode utilizar essas dicas. Preparado para libertar a mente? Então vamos lá!


10 dicas para exercitar sua criatividade


1. Roube como um Artista

Um artista olha para o mundo analisando o que vale a pena roubar. Quando você olha para o mundo dessa maneira, para de se preocupar com o que é “bom” e o que é “ruim” – há apenas coisas que valem a pena ser roubadas e coisas que não valem. Um bom artista entende que nada vem do nada, ou seja, todo trabalho criativo é construído sobre o que veio antes.

Se estivermos livres do fardo de ser completamente originais, podemos parar de tentar construir algo do nada e abraçar a influência, pois toda nova ideia é um remix de uma ou mais ideias anteriores.

Para isso, suba nos galhos de sua própria árvore genealógica. Mastigue algo que você realmente ama – pensador, artista, ativista, escritor, alguém exemplar. Em seguida, encontre três pessoas que esse alguém amou e descubra tudo sobre elas. Repita isso quantas vezes você puder, até que, uma vez montada sua árvore, você faça brotar seu próprio galho. Quando você vê si mesmo como parte de uma linhagem criativa, você se sente menos sozinho enquanto começa a desenvolver seu próprio trabalho.

Nunca se esqueça de ser curioso em relação ao mundo que você vive: confira, investigue as referências e vá mais fundo do que qualquer outro.

Você também pode manter um arquivo de furtos (pode ser digital ou analógico)! Repórteres jornalísticos chamam isso de “arquivo morto”. O arquivo morto é onde você mantém as coisas mortas – algo que vale a pena roubar, inspirações – que depois você reanimará no seu trabalho.

Assim como cita Austin, “todo artista é um colecionador, já que coleciona seletivamente aquilo que realmente ama.”


2. Não Espere até Saber Quem Você é para Começar

É no ato de criar e de fazer nosso trabalho que descobrimos quem somos. Você precisa se vestir com o trabalho que quer e começar a fazê-lo.

O mundo inteiro é um palco e o trabalho criativo é um teatro. Finja até conseguir.

Comece copiando. Não estou falando de plágio, mas de prática. Primeiro copie as pessoas que você ama ou quem você quer ser. Se você copia de um alguém, é plágio; se você copia de cem “alguéns”, é pesquisa. Pesquise!

Depois, descubra o que copiar. Não roube o estilo, roube o pensamento por trás dele. A razão dessa cópia é que assim você talvez vislumbre o que vai em sua mente, internalizando um modo de olhar o mundo.

Depois de copiar, você vai dar um passo adiante e passar da imitação para a emulação: você vai ganhar sua própria forma. Graças a uma falha nos seres humanos de serem incapazes de fazer uma cópia perfeita é que descobrimos onde está o que é nosso e assim conseguimos evoluir.


3. Escreva o Livro que Você Quer Ler

Somos atraídos por certos tipos de trabalhos porque as pessoas que fazem esses trabalhos nos inspiram. Não escreva sobre o que conhece, escreva sobre o que você gosta.

Desenhe a arte que você quer ver, comece o negócio que você quer gerir, toque a música que você quer ouvir: faça o trabalho que você quer ver pronto.


4. Use Suas Mãos

Suas mãos são seus dispositivos digitais originais, use-as! Precisamos nos mover para sentir que estamos fazendo algo com nossos corpos e não só com nossas cabeças.

O computador é bom para editar suas ideias, mas não é muito bom para gerá-las. No computador as coisas já se encontram no rumo da finalização. No esboço de um caderno, as possibilidades são infinitas.

Se você tem um espaço necessário, experimente arrumar duas estações de trabalho: uma analógica e outra digital. Na estação analógica é proibido qualquer tipo de coisa eletrônica. Nela não pode existir nada além de marca-textos, canetas, lápis, cartões, jornais, tachinhas… Assim que suas ideias estiverem prontas – ou pelo menos começadas – muda-se para sua estação digital (que poderá ter seu monitor, laptop, scanner) e execute-as para publicá-las.


5. Projetos Paralelos e Hobbies São Importantes

É bom ter vários projetos caminhando ao mesmo tempo para que você possa saltar entre eles. Quando enjoar de um projeto você pode pular para outro e quando enjoar do último, pular para o outro anterior. Isso se chama procrastinação produtiva.

Pessoas criativas precisam de tempo para sentar e não fazer nada. Se você está sem ideias, passe roupa, faça uma caminhada, lave louça… reserve um tempo para se distrair, perder-se e sonhar. Não jogue fora nenhuma parte sua: mantenha todas as paixões na sua vida. É importante ter um hobby.

Criatividade - O trabalho que você faz enquanto fica enrolando é provavelmente o trabalho que você deveria estar fazendo para o resto da sua vida


6. O Segredo: Faça um Bom Trabalho e Compartilhe-o Com as Pessoas

Ser desconhecido é bom. Não há pressão quando você é desconhecido, você pode fazer o que quiser e experimentar. Aproveite seu anonimato enquanto durar, pois não há nada que o desvie do propósito de melhorar. Para tornar-se conhecido, faça um bom trabalho e compartilhe-o com as pessoas.

Para fazer um bom trabalho não há atalhos, faça coisas todos os dias. Saiba que você irá ficar travado por algum tempo, mas permita-se falhar e melhorar. Assim, quando tiver um trabalho perfeito, coloque suas coisas na internet.

O segredo da internet é prestar atenção em algo e convidar as pessoas a prestarem atenção com você. Quanto mais aberto você for para compartilhar suas paixões, mais próximas as pessoas se sentirão do seu trabalho.

Quando você abre as portas do seu processo e convida as pessoas para que o acompanhem, você aprende. Encontre pessoas na internet que amem as mesmas coisas que você e conecte-se a elas. Você não precisa compartilhar tudo, mostre apenas um pouco do que está fazendo.


7. A Geografia não Manda mais em Nós

Você pode se conectar com o mundo que deseja entrar de onde está. Se você não está envolvido com o mundo em que vive, crie seu próprio mundo: cerque-se de livros e objetos que ama, pregue coisas na parede.

Saia de casa. No cotidiano que o cerca, seu cérebro fica confortável, por isso deixe-o desconfortável. Viver cercado de pessoas interessantes ajuda. Você tem que achar um lugar que o alimente – criativa, social, espiritual e literalmente.


8. Seja Legal (O Mundo é uma Cidade Pequena)

Diga coisas legais sobre seus amigos e ignore seus inimigos. Siga as melhores pessoas online e aproxime-se delas. Faça cartas de fã públicas e dedique ao seu herói. Talvez dessa admiração possam sair trabalhos novos.

Quando você coloca seu trabalho no mundo, você não tem controle sobre como as pessoas reagirão a ele. Por isso, fique à vontade para ser mal compreendido, menosprezado ou ignorado, mas esteja ocupado demais para se importar. Em vez de manter um arquivo de rejeições, mantenha um arquivo de aplausos.  Deixe-o por perto quando precisar levantar seu astral em dias não tão felizes.


9. Seja Chato (É a Única Maneira de Terminar um Trabalho)

Precisa-se de muita energia para ser criativo e você não vai ter essa energia se gastá-la em outras coisas. Essa dica não é voltada apenas para o crescimento profissional, mas muito mais para o pessoal.

Encontre um emprego fixo que o pague decentemente, não o faça querer vomitar e o deixe com energia suficiente para fazer coisas no seu tempo livre.

Arranje um calendário para você: um calendário ajuda a planejar o trabalho, dá objetivos concretos e o mantém consciente do percurso.

Mantenha um diário de bordo (ou seja, um registro dos acontecimentos passados). Um diário de bordo é um pequeno livro onde você anota as coisas que faz todo dia: os pequenos detalhes ajudarão você a lembrar-se dos grandes detalhes.

Case bem. Não só com parceiros, mas também com as pessoas com quem faz negócios, cria amizades, quem você escolhe encontrar. Essas pessoas são quem te mantém com o pé no chão.


10. Criatividade é Subtração

Nessa era de abundância e sobrecarga de informação, saiba o que deixar de fora para assim poder se concentrar no que é realmente importante. A única maneira de superar bloqueios criativos é se impor algumas restrições: limitação é liberdade.

No fim das contas, criatividade não é apenas o que escolhemos usar, são as coisas que escolhemos deixar de fora. Escolha com sabedoria e divirta-se.

O que você achou dessas dicas?

Essas foram apenas 10 ideias para exercitar a criatividade e se manter inspirado. Caso queira se motivar e conectar-se com o seu eu criativo mais ainda, assista a essas 5 palestras de TED também!

Trabalhar com criatividade é algo extremamente recompensador, pois ver um projeto que surgiu em sua mente ganhar forma e ser finalizado é um privilégio que poucos têm. Por isso, não tenha medo de usar dicas para se inspirar: experimente, misture tendências, procure referências… mas não se esqueça: “a criatividade exige coragem!”

Sobre o autor

Mariana Beltrame

Deixe seu comentário